28.6.08

Expoética embrutecida

De onde ouvira isso? "Expoética embrutecida". Devia ser de algum momento muito interessante de sua vida. Tanto tempo ligado pelo comum, questionando-se silencioso, organizando tudo por ritmo metafísico. Se as pessoas ainda haviam de ter dois olhos e sairem amando por aí, disso não se duvidava, mas o que há daqui pra lá, desse pedaço extravagante embaçado que não se exibe porque isso é coisa de gente? "Expoética
talvez uma beleza irrecuperável.
embrutecida". Deveras sem sentido, mas daí em frente começava a possuir certa beleza misteriosa. Mas não seja ingênuo, meu querido, o outro lado é uma metade.

.r

Um comentário:

Ni disse...

Um grande autor me disse uma vez que talvez a gente precise viver as perguntas. Nem sempre estamos prontos para as respostas.